Cirurgia do Joelho

Cartilagem

Os joelhos têm no revestimento interno a cartilagem articular. A lesão da cartilagem articular é bastante frequente e pode acontecer em diversos níveis de gravidade. Na listagem abaixo, você pode ler sobre as lesões mais frequentes.

  • O que é?
  • Lesões mais comuns
  • Informações Gerais
  • Tipos de tratamento
  • Tratamentos
    avançados

O que é?

A cartilagem consiste num revestimento interno dos ossos nas articulações.

Tem como principal função reduzir o atrito entre os ossos durante o movimento.

A cartilagem se renova constantemente, porém em algumas situações ocorre perda de cartilagem é superior a sua formação, causando “lesão de cartilagem”.

As principais causas de lesão de cartilagem são:
1. Trauma intenso (um único episódio)

2. Traumas repetidos (como nos exercícios realizados inadequadamente)

3. Sobrecarga (como no excesso de peso)

4. Infecções no joelho (evento raro)

O tratamento da lesão de cartilagem depende do seu aspecto, do seu tamanho, de sua profundidade, do mecanismo que ocorreu, da idade do paciente e da demanda física do paciente. Percebe-se então que se trata de uma decisão individualizada, sendo o tratamento decidido caso a caso.

O tratamento pode ser realizado sem ou com cirurgia.

A cartilagem reveste os ossos do joelho, estando presente no
fêmur, na tíbia e na patela. Assim, diminui o atrito entre os
ossos, permitindo um movimento suave.

Instabilidade da patela

A condromalácia de patela consiste no “amolecimento” da cartilagem da patela.
Trata-se de uma doença com mútliplas causas, ocorrendo mais frequentemente em pessoas que tem predisposição à este tipo de lesão.
Ocorre mais frequentemente em mulheres jovens.

O prinicipal sintoma consiste em dor na região anterior do joelho principalmente para descer ou subir escadas ou rampas. Apresenta dor ao ajoelhar e ao levantar de uma cadeira.

A condromalácia pode variar desde amolecimento da cartilagem até uma lesão profunda atingindo toda a espessura da cartilagem da patela.
A cartilagem da patela é espessa com aproximadamente 7mm, sendo a cartilagem mais espessa do corpo humano.

Graduação da Condromalácia:

■ I – amolecimento da cartilagem

■ II – fragmentação de cartilagem ou fissuras (diâmetro < 1,3cm)

■ III – fragmentação ou fissuras (diâmetro > 1,3cm)

■ IV – erosão ou perda completa da cartilagem articular

O tratamento da condromalácia mais frequentemente utilzado é o tratamento não cirúrgico. O tratamento baseia-se em programas específicos de reabilitação associada a uso de medicamentos.
Em lesões que não respondem adequadamente ao tratamento não cirúrgico, necessita-se realização de cirurgia.


As principais modalidades de cirurgia semelhantes àquelas realizadas para o tratamento da cartilagem (veja o artigo “Cartilagem”).
Em alguns casos específicos, além do tratamento para a cartilagem pode ser preciso corrigir os fatores predisponentes para evitar recidiva do problema.

Imagem ilustrando cartilagem articular normal (área branca)

Imagem ilustrando machucado na cartilagem articular

Artroscopia mostrando lesão na cartilagem articular.

Condromalácia na patela.

Imagem de Ressonância: Condromalácia de Patela

Cartilagem articular

A cartilagem articular é a superfície que reveste internamente as articulações, cobrindo os ossos. Funciona como um revestimento ao osso para diminuir o atrito durante o movimento. A cartilagem normal apresenta coloração branca, sendo totalmente lisa e muito escorregadia.

Trata-se de uma superfície muito umidecida, que desliza facilmente uma sobre a outra, de forma semelhante a um ‘sabonete molhado’.

Com o envelhecimento ou na presença de machucados, a superfície passa a ficar irregular e a cartilagem começa a reter menos água, diminuindo a lubrificação no joelho.

Imagem de Ressonância: Condromalácia de Patela

Tipos de tratamentos

Diversos avanços surgiram nos últimos anos no tratamento da lesão de cartilagem.

A maior parte dos avanços ocorreu na Europa e nos Estados Unidos, sendo mais recentemente introduzido no Brasil.

O tipo de tratamento a ser utilizado dependendo das características da lesão da cartilagem, principalmente considerando do seu tamanho,a sua profundidade , a idade do paciente e a demanda física do paciente.

Então, trata-se de uma decisão individualizada para cada caso.

Exemplo de lesão na cartilagem do joelho

Os avanços ocorreram tanto na área de tratamento sem cirurgia, com o surgimento da viscuossuplementação (ver página a respeito em nosso site) assim como com o desenvolvimento de novas técnicas cirúrgicas.

As principais técnicas cirúrgica para o tratamento de lesões da cartilagem são:

1. Microfratura – realização de pequenos orifícios na lesão para estimular o organismo a “produzir” tecido semelhante a cartilagem

2. Microfratura associada a membrana para cobertura – realização de pequenos orifícios (microfratura) associada à cobertura da área da lesão com uma membrana para conter e direcionar a formação do novo tecido (cicatrização)

3. Transferência osteocondral autóloga ou mosaicoplastia – retirada de cartilagem de locais “menos importantes” e colocação no local da lesão. Normalmente os locais “doadores” se recobrem novamente de cartilagem com o tempo

4. Transplante de condrócitos – retirada de células produtoras de cartilagem (condrócitos) do próprio paciente e cultivo em laboratório. Após proliferação dessas células, por cirurgia são re-colocadas no paciente, no local da lesão. Esta técnica é utilizada nas lesões maiores da cartilagem.

5. Transplante osteocondral heterólogo – baseia-se na utilização de tecido oriundo de um doador de órgãos. Esta técnica é utilizada nas lesões grandes em que parte do osso também está acometida.

A maioria dos tratamentos para lesões de cartilagem no joelho é realizada por técnica de Artroscopia.

No procedimento de microfratura, realizamos diversos pequenos orifícios na área machucada de cartilagem para formar um coágulo e estimular a cicatrização do machucado de cartilagem. Este procedimento tem maior sucesso em machucados pequenos.

Transferência osteocondral autóloga (mosaicoplastia) – neste tipo de cirurgia, inicialmente preparamos a área de cartilagem machucada para receber o tratamento, em seguida retiramos cartilagem de uma área do joelho que não tem grande demanda e, por fim, transferimos esta cartilagem para a área da lesão.

Na cirurgia de implante de condrócitos, num primeiro procedimento retiramos um pequeno fragmento de cartilagem (tamanho de uma bala ‘tic-tac’) para enviar ao laboratório de cultura celular. Num segundo momento, realizamos a cirurgia de implante destas células de cartilagem cultivadas.

Enxerto de osso e cartilagem de doador.
Colocação do enxerto na área da lesão.

Tratamentos avançados

O tratamento da lesão de cartilagem depende do seu aspecto, do seu tamanho, de sua profundidade, do mecanismo que ocorreu, da idade do paciente e da demanda física do paciente. Percebe-se então que se trata de uma decisão individualizada, sendo o tratamento decidido caso a caso.

O tratamento pode ser realizado sem ou com cirurgia.

Nos tratamento sem cirurgia, pode-se realizar isolada ou conjuntamente:

1. Uso de remédios condroprotetores.

2. Uso de infiltrações no joelho.

3. Fisioterapia (com diversas técnicas diferentes).

Nos casos de tratamento com cirurgia, as modalidades abaixo são as mais comuns:

1. Raspagem (“shaving”) – consiste na raspagem da porções “machucadas” da cartilagem.

2. Microfratura – realização de pequenos orifícios próximos a lesão para estimular o organismo a “produzir” cartilagem.

3. Transferência osteocondral autóloga ou mosaicoplastia – retirada de cartilagem de locais “menos importantes” e colocação no local da lesão. Normalmente os locais “doadores” se recobrem novamente de cartilagem com o tempo.

4. Transplante de condrócitos – retirada de células produtoras de cartilagem (condrócitos) do próprio paciente e cultivo em laboratório. Após proliferação dessas células, por cirurgia são re-colocadas no paciente, no local da lesão.

5. Transplante osteocondral heterólogo – baseia-se na utilização de tecido oriundo de um doador de órgãos.

Considerando os tipos e tamanhos de lesão mais frequentes, os dois primeiros tratamentos são os mais frequentemente utilizados.

A maioria dos tratamentos para lesões de cartilagem no joelho é realizada por técnica de Artroscopia.

No procedimento de microfratura, realizamos diversos pequenos orifícios na área machucada de cartilagem para formar um coágulo e estimular a cicatrização do machucado de cartilagem. Este procedimento tem maior sucesso em machucados pequenos.

Transferência osteocondral autóloga (mosaicoplastia) – neste tipo de cirurgia, inicialmente preparamos a área de cartilagem machucada para receber o tratamento, em seguida retiramos cartilagem de uma área do joelho que não tem grande demanda e, por fim, transferimos esta cartilagem para a área da lesão.

Na cirurgia de implante de condrócitos, num primeiro procedimento retiramos um pequeno fragmento de cartilagem (tamanho de uma bala ‘tic-tac’) para enviar ao laboratório de cultura celular. Num segundo momento, realizamos a cirurgia de implante destas células de cartilagem cultivadas.

Exemplo de lesão na cartilagem do joelho

Marque sua consulta

Veja também

Ligamentos

Meniscos

Artrose

Outros Problemas