Cirurgia do Joelho

Ligamentos

Os joelhos têm diversos ligamentos, que podem apresentar lesões de diversos graus. Os principais ligamentos são: o ligamento cruzado anterior, ligamento colateral medial, o ligamento colateral lateral e o ligamento cruzado posterior. Além disso, quando a patela se desloca (luxação da patela), há lesão do ligamento patelofemoral medial. O diagnóstico e o tratamento de cada uma destas estruturas varia bastante. Na listagem abaixo, você pode ler sobre as lesões mais frequentes.

  • Ligamento
    Cruzado Anterior
  • Luxação da Patela
  • Ligamentos Colaterais
  • Ligamento
    Cruzado Posterior

Ligamento cruzado anterior

O ligamento cruzado anterior consiste numa banda fibrosa que estabiliza o fêmur (osso da coxa) na tíbia (osso da perna) principalmente em movimentos de rotação do joelho. Esse ligamento pode se romper em movimentos de rotação do joelho, prinicipalmente em movimentos que demandam mudança brusca de direção.

O tratamento da lesão do ligamento cruzado anterior demanda cirurgia na grande maioria das vezes. Algumas situações específicas podem ser tratadas sem cirurgia.

A cirurgia baseia-se na substituição do ligamento roto por um tecido que formará um novo ligamento (denominado enxerto). Os principais enxertos utilizados são tendões que sabidamente podem ser removidos sem causar sequela ou dano:

1.Tendão patelar, correspondendo a porção central do ligamento patelar

2.Tendões isquiotibiais (semitendíneo e grácil) – tendões localizados na porção posterior da coxa

Esse tendões são usualmente retirados do paciente no mesmo lado a ser operado.

No Brasil raramente utilizamos tendões de doadores (como no caso de fígado, rim e coração) por questões mais administrativas do que médicas.

Nós geralmente preferimos utilizar enxertos dos isquiotibiais, porém a decisão é realizada individualmente para cada paciente. Como benefícios a cirurgia com o uso de tendões isquiotibiais demanda cicatrizes menores e causa menos dor no pós operatório.

Sintomas de lesão de
ligamento cruzado anterior (lca)

1. Aumento de volume no joelho nas horas iniciais ao entorse

2. Sensação de falseio no joelho nos movimentos de mudança de direção

3. Episódios repetidos de derrame articular (aumento de volume)

A rotura do ligamento cruzado anterior geralmente ocorre ao torcer o joelho

Sobre a cirurgia

A cirurgia de reconstrução do ligamento cruzado anterior é realizada com auxílio de câmera de vídeo (denominada artroscopia) sendo realizada por pequenas incisões.

Na cirurgia, uma incisão é realizada para retirada dos enxertos e dois pequenos furos (pequenas incisões) para utilização das câmeras e dos equipamentos de vídeo. Uma outra pequena incisão pode ser necessária para fixação do novo ligamento junto ao fêmur (osso da coxa).

Veja na sessão “Aos Pacientes” os cuidados necessários com as cicatrizes.

Pela localização da incisão na perna é possível que ocorra discreta redução da sensibilidade da pele ao redor, pois em algumas pessoas um ramo de um nervo sensitivo passa nessa região. Este tipo de situação raramente traz algum desconforto ou transtorno.

Ligamento cruzado anterior em destaque entre o fêmur e a tíbia.
Imagem lateral do joelho com destaque para o ligamento cruzado anterior.
Movimento de translação anterior resistido pelo ligamento cruzado anterior.
Movimento de rotação resistido pelo ligamento cruzado anterior.

Instabilidade da patela

Trata-se da situação em que a patela (osso da frente do joelho) desloca-se fora do seu trilho habitual podendo “sair” (luxar) com pequenos esforços ou espontaneamente.

A instabilidade de patela apresenta como principais sintomas:
1. Dor na região anterior do joelho

2. Sensação de instabilidade na região anterior (patela) do joelho

3. Episódios de luxação de patela

Esse quadro ocorre com mais frequência em mulheres com joelho valgo (em “X”) por apresentarem maior predisposição a instabilidade patelar.

O tratamento desse quadro não depende de cirurgia na maior parte dos casos. A medida mais importante do tratamento baseia-se no fortalecimento da musculatura da coxa (músculo quadríceps; vasto medial).

Nos casos em que o tratamento não cirúrgico não é suficiente, pode-se necessitar de cirurgia.

A cirurgia baseia-se em criar um reforço na porção medial (interna) da patela para evitar que esse osso se desloque. Pode ser necessário também alinhar o tendão patelar com o restante da musculatura da coxa, denominado de realinhamento distal.

Luxação da patela

A luxação da patela pode ocorrer em decorrência de um trauma intenso (no esporte, por exemplo) ou de forma praticamente espontânea (ao se levantar de uma cadeira).
Geralmente ocorre redução espontânea da patela, ou seja, ela volta “sozinha” para o seu lugar.

Em alguns casos é preciso colocar novamente a patela no lugar, sendo que estender o joelho é a maneira mais fácil de fazê-lo.
Após uma luxação de patela a pessoa precisa ficar imobilizada para evitar com que a patela saia novamente. Na sequência deve procurar atendimento médico para que se decida o tratamento a ser realizado.

Basicamente a luxação de patela pode ser tratada com ou sem cirurgia.
O tratamento sem cirurgia geralmente se adequa às pessoas em que a patela não sofreu grande trauma para sair do lugar e esse tipo de episódio é raro (não nos casos em que a patela se luxa repetidamente).

Nas pessoas que tiveram luxação de patela em um trauma de maior energia, geralmente o tratamento com cirurgia é o mais adequado por minimizar a chance da patela luxar novamente e permitir um retorno mais seguro a prática esportiva. De toda forma, o tratamento deve ser decidido caso a caso, pois existem situações em que mesmo sendo uma luxação de patela após um trauma maior, o paciente se beneficia mais de um tratamento não operatório.

No tratamento não cirúrgico, o paciente necessita utilizar um imobilizador de joelho e após um determinado período necessitará de fisioterapia.
Na fisioterapia terá como enfoque o fortalecimento da musculatura da coxa, com destaque para o quadríceps (vasto medial).

Ligamentos colaterais

O joelho apresenta alguns ligamentos ao seu redor.
Os principais ligamentos são o Ligamento Cruzado Anterior, Ligamento Cruzado Posterior, Ligamento Colateral Lateral e Ligamento Colateral Medial.

O ligamento colateral medial é um dos mais frequentemente lesionados. A lesão pode ser de apenas um estiramento, uma lesão parcial ou uma lesão completa.

Geralmente ocorrem ao torcer o joelho desviando a perna para fora.

Logo após a lesão é fundamental que se coloque gelo no local e se realize repouso da articulação.

A maioria dos casos não necessita de cirurgia no seu tratamento, porém é fundamental uma adequada avaliação de um ortopedista.

Ligamentos colaterais
Ligamento colateral lateral
Ligamento colateral medial
Movimento que sobrecarrega o ligamento colateral lateral
Movimento que sobrecarrega o ligamento colateral medial
Mecanismo de Lesão do Ligamento Colateral Medial
Imagem de Lesão do Ligamento Colateral Medial à direita

Ligamento cruzado posterior

No centro do joelho existem dois ligamentos principais: ligamento cruzado anterior e ligamento cruzado posterior.

O ligamento cruzado posterior impede que a perna se desloque par atrás em relação à coxa.

A lesão do ligamento cruzado posterior ocorre mais frequentemente em virtude de um trauma direto na frente do joelho, como por exemplo, na batida do joelho contra o painel do carro ou em uma queda sobre os joelhos.

Queda batendo o joelho no chão ou batendo a perna
no chão. Ambos mecanismos podem causar lesão
do ligamento cruzado posterior
Lesão do
mecanismo
Trauma do joelho no painel de um carro. Esta é uma das formas mais frequentes de lesão do
ligamento cruzado posterior. Muitas vezes a lesão passa desapercebida no atendimento
inicial, pois a atenção da equipe médica pode estar voltada para lesões que colocam a vida
em risco neste momento. Considere avaliar seu joelho depois do tratamento das situações
mais urgentes caso tenha sofrido este tipo de acidente.

O exame clínico pode identificar a lesão do ligamento cruzado posterior, pois existem testes específicos para avaliar este ligamento. Complementarmente, o exame de ressonância magnética permite melhor documentação desta lesão.

Exame de ressonância magnética
demonstrando o ligamento
cruzado anterior íntegro
Exame de ressonância magnética
demonstrando o ligamento
cruzado anterior rompido

Quando o paciente sofre uma lesão do ligamento cruzado posterior isolada, ou seja, sem nenhuma outra lesão no joelho, pode-se considerar realizar um tratamento não cirúrgico. Esta opção deve ser discutida com o paciente, levando em consideração os prós e contras para cada situação específica.

Na presença de outras lesões no joelho, geralmente preferimos o tratamento com cirurgia. Esta cirurgia é realizada com auxílio de aparelho de artroscopia (câmera de vídeo) para minimizar os cortes realizados no joelho.

Marque sua consulta

Veja também

Artrose

Cartilagem

Meniscos

Outros Problemas